Vacina contra Paliloma Vírus Humano (HPV)

Os registros acerca das lesões causadas pelo Papiloma Vírus Humano (HPV), provém da antiguidade, quando Hipócrates (460-377 A.C.) utilizou o termo 'Condiloma' para denominar verrugas genitais. Um importante fato na história do conhecimento à respeito do HPV ocorreu em 1842, quando Rigoni-Stern descreveu a "Naturaza Venéria" do câncer Cervical, após ter observado sua raridade em virgens e freiras.
Apesar da vasta literatura disponívele das várias pesquisas realizadas sobre o assunto, a incidência de Câncer de colo de útero ainda é significativa e está presente tanto em paises desenvolvidos como em subdesenvolvidos.

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer em 2005, cerca de 18 mil novos casos de câncer de colo uterino são registrados a cada ano no Brasil. Aproximadamente quatro mil mulheres anualmente morrem vítimas desse câncer.
Quanto à prevenção, através de vacinas do câncer de colo de útero causado por HPV, um importante conceito é o de "VLP", abreviação de Vírus-Like Particles ou Partículas semelhante a vírus. Trata-se de um capsídeo viral, imunogênico, sem o componente genético, ou seja, sem o componente básico do vírus, o que permite seu uso com segurança.
A justificativa para a elaboração dessa vacina é a elevada associação entre infecção por HPV e desenvolvimento de Neoplasia Cervical. Quase 99% dos cânceres Cervicais e das lesões precursoras de alto grau associa-se ao HPV.

O Risco de câncer cervical em pacientes infectados por HPV é de 50 a 100 vezes maior que entre as não infectadas. A vacina contra o Papiloma Vírus Humano é completa dos 16 a 18, sendo os subtipos 16 e 18 os responsáveis pelo câncer uterino. Tendo também já provado em trabalho científico reação cruzada com os sorotipos 31, 33 e 45. A vacina é aplicada em 3 doses (0, 1 e 6 meses) em pacientes com idade de 9 a 26 anos. Devem também registrar o impacto da infecção por HPV no contexto Psicológico e na sexualidade da mulher é também uma arma à mais para Pediatras que trabalham com adolescentes e Ginecologistas na Prevenção do Câncer de colo de útero.

Sobre o Autor:

Dr. Fabrício de Serrano e Pires
Graduado na Universidade Federal da Paraíba
Especialista em Alergia e Imunologia Clínica
Presidente da Sociedade Brasileira de Alergia e Imunopatologia (SBAI)
Médico Cooperado da UNIMED [Campina Grande/PB]

Dr. Fabrício Pires
Copyright 2011 - Todos os direitos reservados